Direito Criminal e a princípio da presunção de inocência de que “ninguém será culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”

328

escritorio advoO Princípio da Presunção de Inocência está previsto no artigo 5º, inciso LVII da Constituição Federal de 1988. Princípio basilar esse que se refere a Garantia

Processual atribuída ao acusado pela prática de uma infração penal, sendo a prerrogativa, garantia de não ser considerado culpado até a sentença penal condenatória transite em julgado.

Princípio esse que evita a aplicação errônea das sanções punitivas previstas no ordenamento jurídico e que garante ao acusado um julgamento de forma justa em respeito à dignidade da pessoa humana.

O princípio da presunção de inocência está no Rol de direitos e garantias constitucionais vejamos:

Constituição Federal de 1988: “Art. 5. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a

inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes.

LVII- ninguém será culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”;

De acordo com o Ministro e Escritor Alexandre de Moraes, os direitos constitucionais definidos como direitos fundamentais democráticos e individuais são de eficácia e aplicabilidade imediata. Sendo que a própria Constituição Federal, em uma norma síntese, determina esse fato, expressando que as normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata.

1

O ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes diz que o princípio da presunção de inocência é um dos princípios basilares do Estado de Direito. E como garantia processual penal, visa à tutela da liberdade pessoal, salientando a necessidade de o Estado comprovar a culpabilidade do indivíduo, que é de forma constitucional presumido inocente, sob pena de retrocedermos ao Estado de total arbítrio estatal.

Desse modo, a Pessoa tem o direito à vida, a liberdade, a existência de forma digna.

REINALDO OREJANA FARIAS, além de formado em Administração de Empresas Pela Fafiman, Pós Graduado em Gestão Empresarial, e Docência no Ensino Superior pelo Unicesumar, é Advogado com Escritório situado à Rua Rene Taccola esquina com a Rua Manoel Antunes Pereira n. 20-A, (em frente ao Correio).

 

 

Compartilhar