Médico esclarece sobre paciente que faleceu após acidente em Jandaia

1592
O Dr. Denis (foto) providenciou a transferência do paciente. O primeiro atendimento foi do Dr. Felipe

Na tarde desta sexta-feira (8) o prefeito de Jandaia do Sul Benedito Pupio reuniu parte das equipes que estavam no plantão do PAM na quarta-feira (6) onde foi atendido José Carlos dos Santos, de 50 anos, que foi atropelado, provavelmente por um Honda Biz na Rua Pirapó e veio a óbito no Hospital Honpar em Arapongas.

A família acusa o PAM de negligência porque o paciente teria ficado no chão e teria havido demora na transferência para um hospital.

Em entrevista ao repórter André Amaral, o Dr. Denis, disse que quando assumiu o plantão às 19h, quando o paciente já estava no Pronto Atendimento. Ele foi atendido no plantão anterior pelo Dr. Felipe, que o informou do paciente que estava em observação, que chegou muito alcoolizado e com um TCE leve (ferimento na cabeça).

Ainda segundo o médico, por precaução, ao chegar ao PAM, o paciente foi colocado em um colchão no chão devido ao estado de embriaguez. Esse procedimento seria comum nas emergências, já que o paciente alcoolizado poderia cair da maca.

Conforme o Dr. Denis, o estado do paciente não era grave, todos os parâmetros, como frequência cardíaca e  pressão arterial estavam normais, mas pouco depois o paciente apresentou uma piora no quadro com rebaixamento de nível de consciência.

Diante o disso o médico entubou o paciente e ligou para o Hospital da Providência, mas não havia vaga na UTI. O SAMU de Apucarana foi acionado e encaminhou José Carlos ao Honpar em Arapongas, onde veio a óbito.

Ouça a entrevista.

 

Compartilhar