Hospital Universitário de Maringá lança campanha para doação de leite humano

188

(AEN) O Banco de Leite Humano (BLH), do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM), lançou nesta terça-feira (2) uma campanha de incentivo à doação de leite humano. A iniciativa é necessária porque o estoque está baixo e a demanda aumentou, o que pode afetar o atendimento de bebês prematuros e de baixo peso internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

O HUM é um hospital público vinculado à Universidade Estadual de Maringá (UEM) e com atendimento exclusivo pelo SUS. O Banco de Leite Humano da instituição é referência na coleta, pasteurização e distribuição de leite materno para uma região que abrange 115 municípios, com mais de 1,6 milhão de habitantes.

A coordenadora do BLH, Christyna Beatriz Genovez Tavares, explica que a situação está crítica devido à queda nas doações, típica de início do ano, e ao aumento significativo da demanda em razão da expansão de leitos. Ao todo, foram adicionados 12 leitos no HUM, sendo quatro na UTI neonatal, sete na maternidade, além de expansões em leitos da pediatria e mais uma UTI pediátrica.

“Atualmente, estamos coletando apenas 250 litros, enquanto a média mensal para atender nossa demanda seria de 300 a 350 litros”, alerta Christyna.

Em 2023, mais de 2,3 mil mulheres doaram leite, totalizando quase 2,5 mil litros coletados. Como resultado do processamento do leite doado, 950 recém-nascidos foram beneficiados.

BANCO – O BLH tem como objetivo sensibilizar mulheres que amamentam para que entendam a doação de leite como um gesto que salva muitas vidas. O acesso ao leite humano aumenta as chances de recuperação e promove uma vida mais saudável para os bebês.

Segundo os especialistas, o leite humano pode reduzir a mortalidade de crianças menores de cinco anos em até 13% devido a causas evitáveis. É o melhor alimento para recém-nascidos, oferecendo proteção imunológica contra doenças infecciosas. Doar leite materno é um procedimento seguro que não envolve riscos.

“A doação é um ato altruísta. A mulher que doa vai ajudar bebês que estão internados nas UTIs neonatais a se recuperarem mais rapidamente e com menos complicações. Além disso, ela estimula a produção de leite, porque quanto mais extrair, mais leite terá para seu próprio filho”, enfatiza Christyna.

COLETAS – A coleta pode ser feita no HUM, em casa, pela própria doadora, e nos pontos de coleta de Maringá e região: Santa Casa, Hospital Santa Rita, Hospital Paraná (Maringá), Posto de Coleta em Mandaguari e, em Paranavaí, o Programa Municipal Saúde da Mulher e da Criança, abastece a Santa Casa da cidade.

A equipe do BLH também presta assistência a mães da comunidade em geral, que encontram dificuldades na amamentação, e às mulheres que deram à luz no HUM e estão internadas com seus filhos. Durante este atendimento, elas recebem orientações sobre o manejo da amamentação e como superar possíveis dificuldades relacionadas ao aleitamento materno.

As mães interessadas em contribuir podem entrar em contato através do WhatsApp, no número (44) 99900-4692. As mães que podem doar são as que estão com uma boa saúde, tem excedente de leite e não podem estar usando medicamento que interfira na amamentação. Qualquer quantidade de leite materno é importante e pode ser doada. Com apenas 200 ml de leite materno é possível alimentar até 10 bebês prematuros ou de baixo peso.

Compartilhar