Abre ou fecha? população perdida

3404

O mês de fevereiro e também esta primeira semana de Março em Mandaguari, foram consideradas dias de indecisões, revoltas, indignação, choro e stress.

Vereadores Chiquinho e Eron, após reclamações de moradores, fiscalizam atendimento no PAM, se deparam com situações inadmissíveis, pessoas relatam o que sentem conforme matérias divulgadas nas mídias de Mandaguari.

“Eu tenho uma gestação de risco e preciso sempre de atendimento médico. Chego a ficar mais de três horas sem qualquer atendimento, não consigo o remédio que preciso tomar. É realmente uma situação lamentável”, comentou chorando uma das usuárias do serviço público, Jéssica Natália Toledo Ferreira.

Édio Henrique Dutra é outro mandaguariense insatisfeito. “Levei minha mãe para fazer o teste de Covid particular e deu positivo. Trouxe ela pra cá, mas informaram que não vão fazer nenhum atendimento e pediram para ir pra casa”, conta.

A área da Saúde é a que mais recebe críticas no município. O Legislativo não tem o poder de prestar serviços, mas pode cobrar e representar os munícipes. Além de exigirem atendimentos adequados no local, os parlamentares informaram que irão notificar o Ministério Público para que as cobranças ao Executivo sejam feitas.

Fonte: Cléber Gonçalves | Assessoria de Comunicação.

Governo Federal, Governo Estadual e Governo Municipal falam línguas diferente, áudios com críticas ao prefeito de Maringá quando o mesmo informou que as ambulâncias de cidades vizinhas não poderia entrar no Município de Maringá.

Prefeita Ivoneia Furtado logo depois de soltar um decreto para a cidade de Mandaguari, realizou uma reunião de emergência em seu gabinete com seus secretários e empresários locais, nesta reunião os empresários pedia que não se fechasse o comercio durante a reunião naquele domingo a Prefeita aceitou o pedido dos comerciantes, horas depois o whatsapp e também a mídia local informava a nova decisão do governo municipal de Mandaguari, a prefeita Ivoneia iria manter o decreto de fechamento devido ao grande índice de Covid na cidade, criando assim a revolta de vários comerciantes.

Mais um polemica foi criada quando quatro vereadores de Mandaguari foram impedidos de participar da reunião da Comissão de Enfrentamento à Covid19 de Mandaguari, na tarde desta quarta-feira (03). Mesmo usando a sede do Poder Legislativo, segundo matéria publicada no Site Correio de Notícia, a secretária de Saúde, Ana Caroline Carnelossi, não permitiu que os parlamentares Alécio do Cartório (PSD), Eron Barbiero (PSB), Claudete Velasco (PSC) e Marcio Cledson (Cidadania) acompanhassem a reunião.

Durante esta semana após o decreto 162, onde proibia com ressalvas a abertura do comercio local, inclusive empresas de grande porte da cidade, o que vimos foi um total corre corre, lojas da cidade que abriu no peito onde fiscalização chegou e a confusão iniciou, policia, fiscais e muito bate-boca aconteceu. Empresas que entram com pedido a justiça onde fora concedido, reabrindo ou se mantendo abertas.

Neste domingo, após esta semana conturbada, nas redes sociais de Whatsapp, críticas sobre a feira do produtor na Praça Independência, filas gigantes em redes de supermercados da cidade, pequenos empresários que dependem de seu comercio proibidos de trabalhar, já na Avenida Amazonas e em outros locais vimos pessoas passeando de bicicleta, com cachorros, correndo, e na feira, família inteira da Avó ao neto, todos juntos como se estivessem em colônia de férias, pessoas sem máscara, sem distanciamento.

O número de casos da Covid-19 precisa diminuir, famílias estão perdendo seus entes queridos todos os dias vemos ou ouvimos isso, vamos pensar no coletivo e nos colocar no lugar do outro ninguém está imune, se liminar estão autorizando as empresas grandes abrir, então que abra todas.

Na cidade vizinha Jandaia do Sul ao invés de tantas polemicas envolvendo secretarias com legislativo, Legislativo com governo municipal, governo municipal com Judiciário e empresários, população chorando pedindo socorro na saúde, empresários pedindo socorro para não quebrar de vez, vimos um prefeito recém iniciado na política fazer em poucos dias um Hospital de Campanha.  Montou uma Unidade de Saúde Temporária (Hospital de Campanha) para assistência hospitalar dos casos de COVID-19 em situações de emergência em Jandaia do Sul. O local (ao lado do Corpo de Bombeiros) contará com novos leitos de internação clínica para atendimento de pacientes com sintomas respiratórios de baixa complexidade até, se necessário, o remanejamento à unidade de referência hospitalar com leitos de UTI.

Infelizmente observamos que Mandaguari não anda de mãos dada no mesmo sentido, a cidade que já foi referência em saúde, hoje passa longe deste título, os governantes que aqui estão podem mudar esse cenário se quiser, pois foi promessa de campanha, porque os  que por aqui passaram não intenderam que a prioridade é o povo, aqui deveria ter hospitais e médicos, UBS e PAM os quais pudessem dar um atendimento digno a todos que por ventura precisassem, infelizmente o que vemos, a atual realidade é um total desencontro de informações, deixando a população a mercê da sorte.

 

 

 

 

 

Compartilhar